sexta-feira, 21 de agosto de 2009

será que vai pegar?



Pancinha é tendência no verão americano
Muito curiosa a coluna de Guy Trebay, editor de moda do The New York Times, na semana passada. Eis sua descrição de um dos looks masculinos mais cool do verão norte-americano: bermuda na altura do joelho, camiseta com gola em V, tênis sem cadarço tipo Vans, chapéu de palha e, acreditem, uma charmosa pancinha despontando na camiseta. “Saliente o suficiente para aparecer no corte folgado das camisetas, mas não tão grande a ponto de ser chamada de barriga de cerveja, a pancinha está em todo lugar”, escreveu o colunista. ”Sustentar uma pancinha é um privilégio masculino antigo, que significa prosperidade em muitas culturas e também representa uma libertação da ansiedade com a imagem do corpo, que persegue as mulheres desde Eva”. Pois é. O ideal He-man parece estar com os dias contados.

Até pouco tempo, os homens não se sentiam obrigados a exibir um abdômen de tanquinho. Tudo mudou quando as mulheres entraram em massa no mercado de trabalho. Segundo David Zinczenko, editor de uma revista de ginástica masculina norte-americana, a competição os obrigou a se imbuir de uma armadura física (músculos, no caso) para mostrar como seriam mais fortes que as mulheres.

Para o colunista do NYT, a volta da pancinha pode ser descrita por vários fatores. Sobrou até para o presidente Barack Obama. Pode ser uma maneira de se opor, de contrariar o modelo disseminado por um presidente que faz ginástica toda manhã e tem uma barriga plana.

Além disso, pode ser também um retorno à masculinidade. Para ele, não é legal para um homem dar a entender que tem muito tempo de sobra para cuidar do próprio corpo. Segundo Aaron Hicklin, editor de outra revista masculina, “o que antes parecia jovem e quente, tanto para gays como para heteros, agora é passado”. Essas e outras afetações metrosexuais podem soar como futilidade.

Será?

Nenhum comentário:

Postar um comentário